REMOÇÃO DE CERAS COM MAIOR SEGURANÇA.


Sendo impossível eliminar todos os riscos em operações de remoção de ceras, gostaríamos de apresentar alguns comentários e sugestões visando maior segurança, como segue:

 

 

 

1)       O material de construção da bota deve ser resistente de modo que não seja atacado facilmente pelo removedor, o que aumenta a insegurança.   Evitar o PVC, facilmente atacado e dar preferência ao solado em neoprene ou borracha nitrílica, que são quimicamente bastante resistentes, ou no mínimo usar poliuretano de boa qualidade ou borracha com alto grau de vulcanização.

 

 

2)       O desenho do solado da bota deve ser tal que permita reduzir a área de contato com conseqüente aumento da pressão específica, deve ter um bom desenho e ser descartado para estas operações logo que a profundidade dos sulcos se reduza a menos de três milímetros.

 

 

3)       Nunca iniciar o esfregamento imediatamente após espalhar o removedor, aguardar a ação deste, em condições normais um tempo de 15 minutos é suficiente para que o removedor atinja as camadas mais próximas do piso sendo possível, então que, caso necessário pisá-la, a sola desloque a cera amolecida indo até o próprio substrato.

 

 

4)       Deve ser objeto de treinamento dos operadores a informação de que o piso fica extremamente escorregadio, comparável a caminhar sobre gelo, exigindo atenção e adaptação à situação, sempre caminhar com cuidado, dando passos lentos, curtos e sem grande elevação dos pés.

 

 

5)       Manter na área em tratamento exclusivamente o número de operadores necessários.

 

 

6)       Evitar que os operadores carreguem objetos pesados pela área em tratamento durante a operação, ou seja, evitar, por exemplo, grandes baldes cheios de líquido e dar preferência a recipientes menores.

 

 

7)       A forma de operar deve ser determinada de modo a evitar ao máximo pisar em áreas com grande volume de cera amolecida, ou seja, pode-se iniciar o esfregamento a partir de uma área sem removedor e assim que a área esfregada tenha toda cera revolvida puxá-la para o lado ou retirá-la de modo a permitir que esta área seja pisada com maior estabilidade, permitindo assim que se vá avançando dentro da área em remoção. Este procedimento, normalmente, exige ao seu termino um repasse final por toda área já que uma parte da cera removida volta a secar localizadamente.

 

 

8)       Nas áreas de saída do local em remoção manter panos limpos para que se limpem os solados antes de caminhar por outras áreas com a sola ainda escorregadia.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *